Guia de referências afrofuturistas

pra você conhecer melhor o movimento e sua importância pro povo preto.

Você já deve ter ouvido falar em afrofuturismo, se não, eu não sei em que bolha você vive. Apesar de ser um termo muito citado na internet, é importante dizer que ele não tem uma definição fixa e que vai muito além de protagonistas negros na ficção científica. Talvez você conheceu o afrofuturismo com o sucesso do filme Pantera Negra ou com a publicação do livro Kindred(Octavia Butler) aqui no Brasil. Porém o afrofuturismo é mais antigo que a criação de seu termo que se deu na déc de 90.

O ponto principal sobre o afrofuturismo é a autoria negra. Existem obras de autoria branca com personagens negros, sim, porém suas estruturas continuam eurocêntricas, ou seja, privilegiando ideologias, modos de vidas, dentre outros elementos provenientes do ocidente/europa. O afrofuturismo é sobre pretos produzindo para pretos.

"Ah mas o afrofuturismo foi inventado por um branco."

Isso é uma das coisas que infelizmente muitas pessoas se utilizam para continuar invadindo um espaço de produção preta. Lembra quando falei que o afrofuturismo já existia muito antes do termo? Na déc. de 90 o Mark Dery, que é um escritor estadunidense começou a se questionar sobre onde estavam os autores negros de ficção especulativa. Sua pesquisa deu origem ao texto Black to the future(o arquivo é super fácil de achar em pdf, dá um google), onde há entrevistas com autores negros acerca das questões raciais não só no gênero mas também na história mundial.

Na déc de 60, o músico Sun Ra já tinha todos os atributos do afrofuturismo que conhecemos hoje, ele se inspirou na mitologia e cosmologia kemética, pra quem não sabe o nome real do Egito é Kemet, que significa Terra Negra, e seu nome de músico vem do deus sol Rá. Esse cara é uma das maiores referências afrofuturistas na música, e que também nos diz muito sobre o afrofuturismo ir além da pesquisa e definição do Mark Dery.

O afrofuturismo possui muitas perspectivas, prefiro usar esse termo e não definições. O motivo pelo qual o movimento é plural se dá justamente pelas diferentes experiências que nós afrikanos em diáspora possuímos, afinal Afrika é um continente, e nós possuímos diferentes heranças por conta que fomos arrancados de diferentes lugares e consequentemente diferentes culturas Afrikanas.

Um exemplo simples sobre a pluralidade do afrofuturismo pode ser visto ao comparar obras literárias afrofuturistas brasileiras e estadunidenses, aqui no brasil há uma presença muito forte da mitologia e língua iorubá nos textos literários afrofuturistas, já nos EUA, muitas obras afrofuturistas não apresentam elementos mitológicos ou religiosos, mas há uma grande influência da cultura de Kemet.

Mesmo que nos EUA o candomblé ou ifá possa não ser muito presente nas produções, escritores e demais artistas buscam por esse conhecimento, como é o caso recente da Beyoncé que está fazendo referências nos últimos trabalhos a Oxum e uma entrevista com a escritora Octavia Butler onde ela fala que estudou bastante sobre os orixás para a composição de A parábola do Semeador, e que a protagonista possui Oyá no nome devido sua admiração pela Orixá. De uma forma ou de outra os afrofuturistas estão buscando se reconectar com Afrika em diferentes formas.

Agora eu apresento alguns conceitos do afrofuturismo e seus criadores:

“Ficções especulativas que tratem de temas afro-americanos e que abordam preocupações afro-americanas no contexto da tecnocultura do século XX.”

A definição de Mark Dery é bem rala para o que temos hoje. O termo pode ter sido criado por um branco mas nós criamos nossos próprios conceitos e demos direcionamentos e elementos novos. Nomear pra dominar, aqui não hein.


"Afrofuturismo combina elementos de ficção científica, ficção histórica, ficção especulativa, fantasia, afrocentricidade e realismo mágico com crenças não ocidentais. Em alguns casos, é uma total revisão do passado e especulações sobre o futuro repleto de críticas culturais.”

Aí vem a Ytasha L. Womack, essa mulher é incrível, seus livros ainda não estão publicados no Brasil, mas pelo que a gente conversou no instagram ela disse que está trabalhando para que eles sejam publicados aqui, alô editoras pretas, espero que seja com vocês.


“Eu geralmente defino o afrofuturismo como uma maneira de imaginar possíveis futuros através de uma lente cultural preta”

Essa é a de Ingrid LaFleur, a criadora do Afrofuture Strategies Institute uma consultoria de educação de futuros com foco em África e na diáspora Africana.


“A mescla entre mitologias e tradições Africanas com narrativas de fantasia e ficção científica, com o necessário protagonismo de personagens e autores negras e negros.”

Aqui no Brasil, Fábio Kabral é o nome quando você buscar por afrofuturismo na literatura, não é o único, mas é o autor que vem se destacando em dar base para o afrofuturismo não ser banalizado como tantos outros termos nossos. Além disso é criador do termo macumbapunk, e se você quiser saber mais sobre é só clicar aqui.

Tem muitas outras formas de dizer o que é afrofuturismo, porém percebe-se que há uma conexão com Afrika em sua maioria e principalmente nas quais foram criados por pessoas negras. Há muitas outras referências, apenas vou pontuar algumas e estou buscando conhecer e compartilhar mais produções nacionais, além disso, se você curte podcast tem um chamado afrofuturo, que é só sobre afrofuturismo e afins. E para finalizar, é super importante que nós pessoas pretas busquemos nos reconectar com Afrika para entender melhor as perspectivas afrofuturistas, por isso recomendo ler sobre teorias afrocêntricas para te ajudar a se desconectar do ocidente e ter uma melhor experiência de vida e de consumo/produção de arte.

Eu sei que você veio aqui atrás de referências, e a seguir está uma lista de livros, textos, músicas, filmes e vídeos afrofuturistas ou sobre afrofuturismo.

Livros

Fábio Kabral

  • O caçador cibernético da rua 13

  • A cientista guerreira do facão furioso

  • Ritos De Passagem

Lu aIN-Zaila

  • (In) Verdades

  • (R) Evolução

  • Sankofia: Breves histórias sobre Afrofuturismo

  • ÌSÉGÚN: UMA NOVELA CYBERFUNK

Oghan N'Thanda

  • O Apanhador de Sonhos

  • Despedida de Outono

  • Éride - O Relato de Jasper

Alê Santos

  • Antologia Cautions Dreams Curiosities - Conto: A cor de seus olhos

  • Coletânea Todo Mundo Tem uma Primeira Vez - Conto: Cangoma

Editora Kitembo - Vários Autores

  • Antologia Afrofuturismo o Futuro é nosso

Henrique André

  • ALÁGBÁRA: o sonho

Autores internacionais

  • Octavia Butler

  • Nnedi Okorafor

  • Nalo Hopkinson

  • Samuel Delany

  • Dayo Ntwari

  • N. K. Jemisin

  • Ben Okri

Textos
  • O futuro será negro ou não será: Afrofuturismo versus Afropessimismo, Kênia Freitas, José Messias

  • O blog do escritor Fábio Kabral

  • O site da escritora Lu Ain-Zaila

  • Afrofuturism : the world of black sci-fi and fantasy culture, Ytasha L. Womack.

  • Afrofuturismo: o futuro ancestral na literatura brasileira contemporânea, Waldson Gomes de Souza.

  • Afrofuturismo e Africanfuturism: Uma reflexão sobre de onde viemos e para onde vamos, Kinaya Black.

  • Further Considerations on Afrofuturism, Kodwo Eshun.

Música
  • Thiago Elniño

  • Xênia França

  • janelle monáe

  • Erykah Badu

  • Missy Elliott

  • Rico Dalasam

Filmes

  • O Último Anjo da História, John Akomfrah.

  • Chico, Eduardo e Marcos Carvalho.

  • O Dia de Jerusa, Viviane Ferreira.

  • A Gente se Vê Ontem, Stefon Bristol.

Vídeos

O movimento Afrofuturista



O que é afrofuturismo? | Fábio Kabral | TEDxMauá




Diálogos MIS - Afrofuturismo com Kênia Freitas e o cineasta Gabriel Martins



Afrofuturismo e escrita negra feminina | Kinaya Black | Latinidades Pretas